Export ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/3127
Type: Tese
Title: Associação entre razão adiponectina/leptina, sirtuína 1, índices de adiposidade e o comprimento dos telômeros em atletas master
Author(s): Araújo, Márcia Cristiane 
First Advisor: Simões, Herbert Gustavo
Summary: A razão adiponectina/leptina (razão A/L) pode ser utilizada como um índice de avaliação funcional do tecido adiposo, de resistência à insulina e como preditor de risco cardiometabólico. Esta variável ainda tem sido relacionada à senescência celular, sendo modulada por fatores intrínsecos e extrínsecos do envelhecimento biológico. Todas as variáveis relacionadas à velocidade do envelhecimento biológico, e por conseguinte à um maior risco cardiometabólico, têm sido também associadas à atividade da enzima Sirtuína1 (SIRT1). A versátil SIRT1 é uma desacetilase NAD+ dependente, cujas principais funções relacionam-se à melhora da função metabólica celular e à modulação da expressão gênica por mecanismos epigenéticos, impactando assim em mecanismos de sobrevivência e longevidade. Nesse sentido, o eixo adiponectina/SIRT1 é um complexo pleiotrópico de conexão entre a epigenética e o metabolismo, que também pode estar associado à atenuação dos fatores de envelhecimento. Por outro lado, a redução da adiponectina e SIRT1, concomitante ao aumento da leptina, geralmente observáveis durante o envelhecimento, podem acelerar o encurtamento dos telômeros e mediar a gênese de doenças relacionadas à idade. Sabendo-se que o exercício físico realizado ao longo da vida, como no caso dos atletas máster de atletismo, está associado a menor adiposidade, melhor perfil inflamatório, melhor balanço redox, maiores níveis de SIRT1 e telômeros mais longos, o objetivo deste estudo foi comparar e relacionar a razão adiponectina/leptina, com os níveis séricos da SIRT1, os índices de adiposidade e o comprimento dos telômeros de atletas master (velocistas e corredores de endurance), seus pares de meia-idade não atletas e grupo controle de jovens saudáveis não treinados. A amostra (n = 99) foi composta por atletas master de elite masculino de potência (AP: n = 33; idade 50.37 ± 6.23) e de endurance (AE: n = 21; idade 51.30 ± 9.21), além dos grupos controles não treinados de meia-idade (CM: n = 21; 47.16 ± 8.70) e de jovens (CJ: n = 24; idade 23.70 ± 4.03), cujas medidas antropométricas e amostras biológicas foram coletadas e analisadas. Para análises dos níveis de adiponectina, leptina e SIRT1 no sangue total foram utilizados kits comerciais específicos, enquanto a determinação do comprimento (relativo) dos telômeros foi realizada em leucócitos, através das análises de qPCR. Como procedimentos estatísticos, para o cálculo da média e desvio padrão (±) das variáveis de estudo e comparações entre os grupos, foram aplicados uma One-Way ANOVA com Tukey test como um Post-Hoc, visto que os resultados apresentaram distribuição normal. Para calcular o tamanho do efeito foi utilizado o eta-quadrado (η 2 ). Para a associação entre a adiponectina, leptina, razão A/L, SIRT1, os índices de adiposidade e o comprimento dos telômeros foi utilizado o teste da Correlação de Pearson. Foi considerado o nível de significância de 5% (p ˂ 0.05). Os programas SPSS v21.0 e o Graph Pad Prism (v7.0) foram utilizados para análises das variáveis e comparações entre os grupos estudados, e confecção dos gráficos, respectivamente. Os resultados mostraram que os atletas master apresentaram menores valores dos índices de adiposidade para massa corporal, IMC, gordura corporal (%G), circunferência da cintura (CC), relação cintura/quadril (RCQ), índice de conicidade (Índice C), em comparação com o grupo controle meia-idade não treinado (p ˂ 0.05), assim como não apresentaram diferenças significativas em relação ao grupo controle jovem (CJ) para estas variáveis (p ˃ 0.05). Os atletas master apresentaram níveis séricos mais elevados (p ˂ 0.05) de adiponectina (AE = 15.06 ± 3.85 μg/mL; AP = 13.54 ± 5.12 μg/mL) e SIRT1 (AE = 18.14 ± 3.29 ng.mL-1 ; AP = 19.45 ± 7.65 ng.mL-1 ), maior razão A/L (AE = 1,96 ± 1,51; AP = 1,95 ± 1,51), bem como menor leptina (AE = 7,70 ± 1,77 ng/mL; AP = 8,82 ± 3,07 ng/mL) quando comparados aos valores do grupo controle de meia idade para as variáveis adiponectina (8.97 ± 5.36 μg/mL), SIRT1 (7.75 ± 4.10 ng.mL-1 ), razão A/L (1.03 ± 0.94) e leptina (12.75 ± 5.39 ng/mL). Não houve diferença significativa (p ˃ 0.05) entre os atletas master e grupo controle jovem para a adiponectina (16.47 ± 3.50 μg/mL), leptina (7.03 ± 1.55 ng/mL), razão A/L (2.60 ± 1.28) e SIRT1(20.85 ± 5.45 ng.mL-1 ). O comprimento dos telômeros foi maior (p = 0.023) no CJ (2.38 ± 1.83 razão T/S) e no AP (1.29 ± 0.84 razão T/S) em comparação com os grupos AE (0.71 ± 0.62 razão T/S) e CM (0.39 ± 0.38 razão T/S). No entanto, mesmo sem apresentar diferenças estatísticas, o grupo AE apresentou uma tendência a ter telômeros com comprimento mais longo em relação ao grupo CM, como evidenciado pelo tamanho do efeito grande para o eta-quadrado (η 2 = 0.32). Os dados agrupados do CJ com o CM, mostrou que a SIRT1 foi correlacionada positivamente com a razão A/L (r = 0.4508; p = 0.001) e com a adiponectina (r = 0.5599; p ˂ 0.0001), e negativamente com a idade (r = - 0.744; p ˂ 0.0001) e leptina (r = - 0.5366; p ˂ 0.0001). Nos dados agrupados dos atletas master (AM) com o CJ, a SIRT1 foi correlacionada negativamente com a leptina (r = - 0.2486; p = 0.02) e não apresentou correlação com a idade (r = - 0.167; p = 0.158), a razão A/L (r = 0.1989; p = 0.08) e a adiponectina (r = - 0.0645; p = 0.053). O comprimento dos telômeros, nos dados agrupados do CJ com o CM, não apresentou correlação com a SIRT1 (r = 0.3501; p = 0.2646), a razão A/L (r = 0.1149; p = 0.722), a adiponectina (r = 0.1698; p = 0.597) e a leptina (r = - 0.0111; p = 0.972). Nos dados agrupados dos AM com o CJ, apresentou correlação positiva com a SIRT1 (r = 0.6307; p = 0.002), mas não mostrou correlação com a razão A/L (r = 0.0626; p = 0.793), a adiponectina (r = 0.1170; p = 0.623) e a leptina (r = - 0.0217; p = 0.927). Nos dados do CM e CJ, somente a SIRT1 teve correlação negativamente com o IMC, entretanto, a %G, a CC, a RCQ e o índice C apresentaram correlação negativa com a razão A/L, adiponectina e a SIRT1, e correlação positiva com a leptina, assim como o IMC. Nos dados agrupados dos atletas master e CJ, a SIRT1 se correlacionou negativamente com o %G, RCQ e índice C; no entanto, a adiponectina, leptina e razão A/L não se correlacionaram com os índices de adiposidade. Conclui-se, portanto que, independentemente do tipo de treinamento físico (endurance e potência), os marcadores de avaliação funcional do tecido adiposo (razão A/L e adiponectina) e de senescência celular (SIRT1) tendem a se elevarem, enquanto a leptina e os índices da adiposidade geral e central tendem a reduzirem em indivíduos de meia-idade, apresentando um perfil semelhante aos indivíduos jovens não treinados, sugerindo os efeitos do treinamento na saúde metabólica e na idade biológica. Em adição, os atletas master de potência parecem ter maior comprimento dos telômeros. Ademais, a SIRT1 pode estar envolvida na mediação dos efeitos do treinamento sobre a maior razão A/L, os menores índices de adiposidade corporal e o maior comprimento dos telômeros. Desse modo, os resultados evidenciam os efeitos benefícios do treinamento físico na saúde funcional do tecido adiposo e na atenuação da senescência celular, contribuindo para o envelhecimento saudável ao longo da vida.
Abstract: The adiponectin/leptin ratio (A/L ratio) can be used as an index of functional assessment of adipose tissue, insulin resistance and also as a predictor of cardiometabolic risk. This variable has also been related to cellular senescence, being modulated by intrinsic and extrinsic factors of biological aging. All variables related to the speed of biological aging, and therefore to a higher cardiometabolic risk, have also been associated with the activity of the enzyme Sirtuin1 (SIRT1). The versatile SIRT1 is a NAD+ dependent deacetylase, whose main functions are related to the improvement of cellular metabolic function, and modulation of gene expression by epigenetic mechanisms, thus impacting mechanisms of survival and longevity. In this sense, the adiponectin/SIRT1 axis is a pleiotropic complex connecting epigenetics and metabolism, which may also be associated with the attenuation of aging factors. On the other hand, the reduction in adiponectin and SIRT1, concomitant with the increase in leptin, generally observable during aging, may accelerate telomere shortening and mediate the genesis of age-related diseases. Knowing that physical exercise performed throughout life, as in the case of master track and field athletes, is associated with lower adiposity, better inflammatory profile, better redox balance, higher SIRT1 levels and longer telomeres, the objective of this study was to to compare and relate the adiponectin/leptin ratio with SIRT1 serum levels, adiposity indices and telomere length of master athletes (sprinters and endurance runners), their middle-aged non-athlete peers and control group of young people healthy untrained. The sample (n = 99) was composed of elite male power (AP: n = 33; age 50.37 ± 6.23) and endurance (AE: n = 21; age 51.30 ± 9.21) master athletes, in addition to non-controlling groups. middle-aged (CM: n = 21; 47.16 ± 8.70) and young (CJ: n = 24; age 23.70 ± 4.03) trained participants, whose anthropometric measurements and biological samples were collected and analyzed. To analyze the levels of adiponectin, leptin and SIRT1 in whole blood, specific commercial kits were used, while the determination of the (relative) length of telomeres was performed in leukocytes, through qPCR analysis. As statistical procedures, for the calculation of the mean and standard deviation (±) of the study variables and comparisons between the groups, a One-Way ANOVA with Tukey test was applied as a Post-Hoc, since the results showed a normal distribution. To calculate the effect size, the eta-square (η2) was used. For the association between adiponectin, leptin, A/L ratio, SIRT1, adiposity indices and telomere length, the Pearson Correlation test was used. A significance level of 5% (p ˂ 0.05) was considered. The SPSS v21.0 and Graph Pad Prism (v7.0) programs were used for analysis of variables and comparisons between the groups studied, and for making the graphs, respectively. The results showed that the master athletes had lower values of adiposity indices for body mass, BMI, body fat (%G), waist circumference (WC), waist/hip ratio (WHR), conicity index (C-Index), compared to the untrained middle-aged control group (p ˂ 0.05), as well as showing no significant differences in relation to the young control group (CJ) for these variables (p ˃ 0.05). Master athletes had higher serum levels (p ˂ 0.05) of adiponectin (AE = 15.06 ± 3.85 μg/mL; AP = 13.54 ± 5.12 μg/mL) and SIRT1 (AE = 18.14 ± 3.29 ng.mL-1; AP = 19.45 ± 7.65 ng.mL-1), higher A/L ratio (AE = 1.96 ± 1.51; AP = 1.95 ± 1.51), as well as lower leptin (AE = 7.70 ± 1, 77 ng/mL; AP = 8.82 ± 3.07 ng/mL) when compared to the values of the middle-aged control group for the variables adiponectin (8.97 ± 5.36 μg/mL), SIRT1 (7.75 ± 4.10 ng.mL- 1), A/L ratio (1.03 ± 0.94) and leptin (12.75 ± 5.39 ng/mL). No differences were observed (p ˃ 0.05) between master athletes and young control group for adiponectin (16.47 ± 3.50 μg/mL), leptin (7.03 ± 1.55 ng/mL), A/L ratio (2.60 ± 1.28) and SIRT1 (20.85 ± 5.45 ng.mL-1). Telomere length was longer (p = 0.023) in CJ (2.38 ± 1.83 T/S ratio) and AP (1.29 ± 0.84 T/S ratio) compared to the AE (0.71 ± 0.62 T/S ratio) and CM (0.39 ± 0.38 T/S ratio). However, even without statistical differences, the AE group showed a tendency to have longer telomeres compared to the CM group, as evidenced by the large effect size for the eta-square (η2 = 0.32). The pooled data from the CJ with the CM showed that SIRT1 was positively correlated with the A/L ratio (r = 0.4508; p = 0.001) and with adiponectin (r = 0.5599; p ˂ 0.0001), and negatively with age (r = - 0.744; p ˂ 0.0001) and leptin (r = - 0.5366; p = p ˂ 0.0001). In the pooled data of the master athletes (AM) with the CJ, SIRT1 was negatively correlated with leptin (r = - 0.2486; p = 0.02) and showed no correlation with the age (r = - 0.167; p = 0.158), A/L ratio (r = 0.1989; p = 0.08) and adiponectin (r = - 0.0645; p = 0.053). The telomere length, in the grouped data of the CJ with the CM, the telomere length showed no correlation with the SIRT1 (r = 0.3501; p = 0.2646), the A/L ratio (r = 0.1149; p = 0.722), the adiponectin (r = 0.1698; p = 0.597) and leptin (r = - 0.0111; p = 0.972). In the pooled data from AM with CJ, it showed a positive correlation with SIRT1 (r = 0.6307; p = 0.002), but showed no correlation with the A/L ratio (r = 0.0626; p = 0.793), adiponectin (r = 0.1170; p = 0.623) and leptin (r = - 0.0217; p = 0.927). In the CM and CJ data, only SIRT1 had a negative correlation with BMI, however, F%, WC, WHR and C index showed a negative correlation with the A/L ratio, adiponectin and SIRT1, and a positive correlation with leptin, as well as BMI. In the pooled data of master and CJ athletes, SIRT1 was negatively correlated with %F, WHR and C index, however adiponectin, leptin and A/L ratio were not correlated with adiposity indices. It is concluded, therefore, that, regardless of the type of physical training (endurance and power), the markers of functional assessment of adipose tissue (A/L and adiponectin ratio) and cellular senescence (SIRT1) tend to increase, while the Leptin and general and central adiposity indices tend to decrease in middle-aged individuals, presenting a profile similar to young untrained individuals, suggesting the effects of training on metabolic health and biological age. In addition, master power athletes appear to have longer telomere lengths. Furthermore, SIRT1 may be involved in mediating the training effects on higher A/L ratio, lower body adiposity indices and longer telomere length. Thus, the results show the beneficial effects of physical training on the functional health of adipose tissue and on the attenuation of cellular senescence, contributing to healthy aging throughout life.
Keywords: Adiponectina
Leptina
Sirtuína 1
Telômero
Atleta master
Adiposidade
Adiponectin
Leptin Ratio
Sirtuin 1
Adiposity
Master athletes
Telomere
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Language: por
Parents: Brasil
Publisher: Universidade Católica de Brasília
Institution Abbreviation: UCB
Department: Escola de Saúde e Medicina
Program: Programa Stricto Sensu em Educação Física
Citation: ARAÚJO, Márcia Cristiane. Associação entre razão adiponectina/leptina, sirtuína 1, índices de adiposidade e o comprimento dos telômeros em atletas master. 2022. 117 f. Tese (Programa Stricto Sensu em Educação Física) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2022.
Access Type: Acesso Parcial
URI: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/3127
Document date: 22-Feb-2022
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MarciaCristianeTeseParcial2022.pdfTese (Parcial)676.5 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.