Export ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/3060
Type: Tese
Title: Validação do inventário feminino dos esquemas de gênero do autoconceito para mulheres idosas (IFEGA-idosas)
Author(s): Silva, Amanda Alves da 
First Advisor: Melo, Gislane Ferreira de
Summary: O estudo do gênero tem várias facetas e entre elas aquela relacionada a questões cognitivas, ou seja, em como pensamos o masculino e o feminino. O modelo interativo foi um modelo criado por Giavoni (2000) para investigar o quanto o ser humano pensa o masculino e o feminino, podendo estes serem classificados pelo modelo como Heteroesquemáticos Masculinos, Heteroesquemáticos Femininos e Isoesquemáticos, independente do sexo. Para que pudesse avaliar as mulheres e classificá-las no modelo interativo foi criado o Inventário Feminino do Autoconceito de Gênero (IFEGA), o qual foi validado em 2005 com mulheres universitárias. O Inventário possui 75 itens subdivido em duas escalas - masculina e feminina – compostas, cada uma, por três fatores (Arrojamento, Egocentrismo, Negligência e Sensualidade, Inferioridade, Negligência), respectivamente. Como no modelo inicial, a amostra foi composta por mulheres entre 17 e 34 anos, quando o IFEGA era aplicado para avaliação de mulheres com 60 anos ou mais, percebia-se uma insatisfação por parte destas, alegando que havia itens que não condiziam com aquele momento de vida. Desta forma, o objetivo deste estudo foi validar o IFEGA para mulheres idosas, buscando também, a redução dos itens da escala para maior e melhor qualidade de respostas destas idosas. Para tanto, foram utilizados os dados coletados, por meio do IFEGA, de 719 mulheres com média de idade 68,96 ± 6,69, na sua maioria viúvas (32,7%) e tendo como escolaridade na maioria ensino fundamental (42,4%). Estes dados foram provenientes de pesquisas realizadas pelo grupo de estudos em Gênero, Saúde e Sociedade da Universidade Católica de Brasília. Para cumprirmos com o objetivo foi realizada inicialmente uma análise fatorial exploratória realizada por meio do Software Factor. Durante as análises, a escala feminina passou por 6 (seis) modelos até chegar ao melhor índice possível de modelagem, o que aconteceu também com a escala masculina que necessitou de 7 (sete) diferentes modelos. A solução bidimensional tanto para a escala feminina (Bartlett (df) = 5918,6 (120); KMO = 0,860; CFI = 0,969; RMSEA = 0,070; TLI = 0,958; BIC = 719,523) quanto para a masculina (Bartlett (df) = 4916,2 (136); KMO = 0,866; CFI = 0,979; RMSEA = 0,048; TLI = 0,972; BIC = 607,158) demonstrou melhor ajuste em comparação aos três fatores anteriores. A Análise Fatorial Confirmatória foi realizada por meio do Software Stata. Após recorrer aos índices de modificação do modelo a partir de covariâncias sugeridas pelo software tanto a escala feminina (χ²/gl = 1,692; CFI = 0,963; TLI = 0,949; RMSEA = 0,031 [0,016-0,045]; SRMR = 0,047) quanto a escala masculina (χ²/gl = 1,553; CFI = 0,974; TLI = 0,962; RMSEA = 0,028 [0,007-0,044]; SRMR = 0,048) demonstrou bons índices de ajustes ao realizar o terceiro modelo. A partir da análise confirmatória foi possível reduzir o instrumento, com 19 itens e com uma consistência interna da escala feminina foi de 0,863 e a masculina de 0,790. Concluiu-se que os resultados obtidos validam a utilização do Inventário Feminino dos Esquemas de Gênero do Autoconceito para mulheres idosas, denominado IFEGA-Idosas.
Abstract: The study of gender has several dimensions and among them, some factors associated with cognition. Mainly, how we conceive the masculine and the feminine. The interactive model was created by Giavoni (2000) to investigate how much the human being thinks about gender. Accordingly, it can be classified as Male Heteroschematic, Female Heteroschematic and Iso-Schematic. To assess women and categorize them under the interactive framework, the Feminine Inventory of the Self-Concept's Gender Schemas (IFEGA) was developed and validated in 2005. This instrument has 75 items divided in two subscales - male and female - each one composed of three factors (Daring, Egocentrism, Negligence and Sensuality, Inferiority, Negligence) for men schemas and women schemas, respectively. The sample of the present study was composed by women between 17 and 34 years old. When this instrument was adopted in the literature to assess women aged over 60, results showed their dissatisfaction towards the measure, due to the lack of match between items' content and their moment of life. Thus, the objective of this study was to validate the IFEGA for elderly women, also seeking to reduce the total number of items for greater and better quality of answers. For this purpose, we collected data from 719 women with an average age of 68.96 ± 6.69, mostly widows (32.7%) and having most elementary school education (42, 4%). These data came from research carried out by the Study Group on Gender, Health and Society at the Catholic University of Brasília. An exploratory factor analysis was initially conducted using the Software Factor. A total of six models of the female subscale were tested until reaching the best possible indexes. It also happened with the male scale, although it required seven different tested models rather than six. A two-dimensional solution for both female (Bartlett (df) = 5918.6 (120); KMO = 0.860; CFI = 0.969; RMSEA = 0.070; TLI = 0.958; BIC = 719.523) and male subscales (Bartlett (df) = 4916.2 (136); KMO = 0.866; CFI = 0.979; RMSEA = 0.048; TLI = 0.972; BIC = 607.158) demonstrated better adjustment when compared to the previously hypothesized three factors. Confirmatory Factor Analysis was performed using the Stata Software. After adopting the covariance suggestions of the software, a modified model for both female (χ² / gl = 1.692; CFI = 0.963; TLI = 0.949; RMSEA = 0.031 [0.016-0.045]; SRMR = 0.047) and male subscales (χ² / gl = 1,553; CFI = 0.974; TLI = 0.962; RMSEA = 0.028 [0.007-0.044]; SRMR = 0.048) demonstrated good fit indexes. Scale reduction was performed by adopting the confirmatory analysis. We reached a total of 19 items with good internal consistency on both female (0.863) and male (0.790) subscales. We concluded that results sustained the valid use of the Feminine Inventory of the Self-Concept's Gender Schemas for elderly women, now called IFEGA-Idosas.
Keywords: Escala
Instrumento
Feminilidade
Masculinidade
Envelhecimento
Masculinity
Instrument
Femininity
Aging
Scale
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Language: por
Parents: Brasil
Publisher: Universidade Católica de Brasília
Institution Abbreviation: UCB
Department: Escola de Saúde e Medicina
Program: Programa Stricto Sensu em Gerontologia
Citation: SILVA, Amanda Alves da. Validação do inventário feminino dos esquemas de gênero do autoconceito para mulheres idosas (IFEGA-idosas). 2020. 74 f. Tese (Programa Stricto Sensu em Gerontologia) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2020.
Access Type: Acesso Parcial
URI: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/3060
Document date: 19-Oct-2020
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Gerontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AmandaAlvesdaSilvaTeseParcial2020.pdfTese (Parcial)355.76 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.