???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/2459
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Estimulação cognitiva em idosos sedentários com transtorno cognitivo leve
???metadata.dc.creator???: Farias, Alyne Matos Napoleão 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Gomes, Lucy de Oliveira
???metadata.dc.description.resumo???: No Brasil, é crescente o número de idosos e essa transformação na estrutura etária dá-se sem que haja um melhoramento das condições de vida. Com o aumento da expectativa de vida, há maior probabilidade de doenças crônicas e degenerativas, como o Transtorno Cognitivo Leve (TCL). A utilização de estímulos cognitivos, através de oficinas de estimulação cognitiva (OEC), causa seu retrocesso e/ou interfere no avanço. O objetivo foi analisar modificações no perfil cognitivo, com ênfase na memória, antes e após a execução das oficinas de estimulação cognitiva, assim como identificar características socioeconômicas de idosos sedentários que frequentam a Unidade Mista de Saúde de Taguatinga do Distrito Federal (UMST-DF). Foi um estudo quantitativo experimental descritivo, com idosos (≥60 anos), diagnosticados com TCL. A amostra composta de nove idosos das OEC no grupo experimental (G1) e dez idosos que não sofreram intervenção no grupo controle (G2). A coleta de dados foi feita por entrevista estruturada, aplicação no primeiro e último encontro do Miniexame do Estado Mental (MEEM), fluência verbal, relógio, memória de figuras e lista de palavras. As OEC oferecidas ao G1 utilizaram técnicas de estimulação, por uma hora, semanalmente, em dez encontros. No G2, foram feitos relatos das atividades da vida diária, pelo mesmo período, sem estimulação cognitiva. Os dados descritivos foram avaliados pelas medidas descritivas: médias, desvios padrões, mediana, frequência absoluta e relativa, com p<=0,05. Foram aplicados teste de qui-quadrado e teste t pelo programa SPSS 20.0 e software R. Resultados mostraram idade média de 75± anos, 84,2% feminino, 89,5% aposentados e 89,5% viúvos. 17 idosos (89,5%) relataram memória melhor há um ano. Após as OEC, oito (88,9%) idosos do G1 consideraram sua memória atual como boa. Apesar dos idosos do G1 terem pontuações maiores em todos os testes após as OEC, a diferença entre os testes não foram significativas (p= 1,0). No MEEM não surgiu diferença significativa (p=0,436). O teste do desenho do relógio evidenciou o baixo nível de escolaridade: G1 (p>1) e G2 (p= 0,621); os testes não foram significativos, afirmando nenhuma ou quase nenhuma mudança no perfil cognitivo. Nos testes de fluência verbal (p=0,367), de memória de palavras e o de figuras (p=,0,351), o G2 não mostrou recuperação na evocação da memória, apesar de relatar aumento na sociabilidade em grupo. Concluiu-se que, apesar das OEC não terem resultados estatisticamente significativos, possuem efeito visível na integração social, troca de experiências e empoderamento pessoal. Esse método pode auxiliar a enfermagem a traçar métodos e implementações mais eficazes para o tratamento e reabilitação, não só pessoas idosas com TCL, mas com diversas condições cognitivas. Talvez estudos com prazos maiores possam aprimorar tais resultados e abranger os aspectos positivos das atividades físicas na área cognitiva.
Abstract: In Brazil the number of elderly people is increasing and this transformation in the age structure is taking place without an improvement of the living conditions. With increased life expectancy there is a greater probability of chronic and degenerative diseases, such as Mild Cognitive Disorder (MCD). The use of cognitive stimuli through cognitive stimulation therapies (CST) causes them to regress and / or interfere with advancement. The objective was to analyze changes in cognitive profile, with emphasis on memory, before and after the execution of cognitive stimulation workshops, as well as to identify socioeconomic characteristics of sedentary elderly people who attend the Mixed Health Unit of Taguatinga, Federal District (UMS-DF). It was a descriptive experimental quantitative study, with elderly (≥60 years), diagnosed with MCD. The composite sample of 9 elderly of the OEC in the experimental group (G1) and 10 elderly did not undergo intervention in the control group (G2). The data collection was done by structured interview, application in the first and last meeting of the mini mental state examination, verbal fluency, clock, memory of figures and list of words. The CST offered to the G1, stimulation techniques were used, for one hour, weekly, in 10 meetings. In G2, daily life activities were reported for the same period, without cognitive stimulation. The descriptive data were evaluated by means of descriptive measures: means, standard deviations, median, absolute and relative frequency, with p <= 0,05. The chi-square test and t-test were applied using the SPSS 20.0 program and the R. software. Results showed mean age of 75 ± years, 84.2% female, 89.5% retired and 89.5% widowed. 17 elderly (89.5%) reported better memory a year ago. After CST, 8 (88.9%) elderly of the G1 considered their current memory as good. Although the G1 elderly had higher scores in all tests after the CST, the difference between the tests was not significant (p = 1.0). No significant differences were found in the Miniexame of the Mental State (p = 0.436). The test of the clock design evidenced the low level of schooling. G1 (p> 1) and G2 (p = 0.621), the tests were not statistically significant, affirming no or almost no change in the cognitive profile. In the tests of verbal fluency (p = 0.367), word memory and figures (p = 0.351), G2 showed no recovery in recall, despite reporting an increase in group sociability. It was concluded that although the CST do not have significant results, they have a visible effect on social integration, exchange of experiences and personal empowerment. This method can help nursing to design more effective methods and implementations for the treatment and rehabilitation of not only elderly people with MCD, but with different cognitive conditions. Perhaps longer-term studies can improve such outcomes and encompass the positive aspects of physical activity in the cognitive area.
Keywords: Sedentarismo
Envelhecimento
Declínio cognitivo
Terapias cognitivas
Disfunção cognitiva
Cognitive dysfunction
Cognitive therapies
Cognitive decline
Sedentary
Lifestyle
Aged
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade Católica de Brasília
???metadata.dc.publisher.initials???: UCB
???metadata.dc.publisher.department???: Escola de Exatas, Arquitetura e Meio Ambiente
???metadata.dc.publisher.program???: Programa Stricto Sensu em Gerontologia
Citation: FARIAS, Alyne Matos Napoleão. Estimulação cognitiva em idosos sedentários com transtorno cognitivo leve. 2018. 89 f. Dissertação (Programa Stricto Sensu em Gerontologia) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2018.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/2459
Issue Date: 5-Jul-2018
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Gerontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AlyneMatosNapoleaoFariasDissertacao2018.pdfDissertação1.42 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.