Export ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/2194
Type: Dissertação
Title: Consumo máximo de oxigênio, validade de equações de predição e possível influência do polimorfismo I/D do gene da ECA sobre sua determinação
Author(s): Almeida, Jeeser Alves de 
First Advisor: Simões, Herbert Gustavo
Summary: Equações de predição têm sido amplamente utilizadas na determinação indireta do consumo máximo de oxigênio (VO2max), pois podem avaliar um grande número de pessoas com baixo custo e, na maioria das vezes, chegando próximo à especificidade de algumas modalidades esportivas. Contudo, sabendo-se que o VO2max pode ser influenciado por diversos fatores ambientais e genéticos, a validade destas equações em estimar o VO2max de brasileiros jovens deve ser melhor estudada. A presente dissertação integra dois estudos realizados com jovens estudantes fisicamente ativos. O objetivo do primeiro estudo foi analisar a validade da equação proposta por Cureton et al. (1995) em estimar o VO2max dos participantes a partir do teste de corrida de 1600m, além de sugerir e verificar a validade de uma nova equação de predição específica para brasileiros fisicamente ativos, a partir do desempenho no mesmo teste. O segundo estudo examinou a possível influência do polimorfismo I/D do gene da enzima conversora de angiotensina (ECA) sobre a determinação direta e indireta do VO2max nestes participantes. Foram recrutados, para o estudo I, trinta homens jovens e fisicamente ativos que realizaram um teste de corrida de 1600m e um teste incremental (TI) ergoespirométrico em esteira com análise de gases expirados para determinação direta do VO2max. Os participantes foram divididos em dois grupos (G1 e G2), sendo que no G1 a nova equação foi gerada (Regressão linear simples entre VO2max e velocidade média em 1600m 1600Vm) enquanto que a validade foi analisada no G2. Quando aplicada nos resultados do G2, ANOVA One Way revelou não haver diferença estatística entre o VO2max obtido pela equação de predição gerada no G1 [VO2max=(0,177*1600Vm) +8,101] com os valores do TI (50,1+7,2 mL.kg-1.min-1 vs 50,1+7,1 mL.kg-1.min-1), apresentando alta correlação entre si (r=0,81). Entretanto, a equação de Cureton et al (1995) [VO2peak = -8,41(MRW) + 0,34 (MRW) 2 + 0,21 (Age x Gender) -0,84 (BMI) + 108,94] (44,2+6,5 mL.kg-1.min-1) mostrou-se diferente do TI bem como dos valores obtidos com a nova equação proposta (P<0,05). A análise de concordância entre os métodos foi analisada pela técnica de Bland & Altman. A partir desta nova equação, 57 participantes integraram o Estudo II e realizaram os mesmos procedimentos metodológicos, contudo tiveram seu DNA extraído e foram genotipados para o polimorfismo I/D do gene da ECA. Assim, os participantes foram separados em três grupos diferentes, de acordo com os genótipos do gene da ECA (DD ID II). Os resultados revelaram valores significativamente mais baixos de VO2max para indivíduos DD quando comparados com os indivíduos ID e II (45,6 +1,81 mL.kg-1.min-1) (51,9 +0,79 mL.kg-1.min-1) e54,4+0,96 mL.kg-1.min-1) respectivamente (P<0,01). Quando comparados o VO2max obtido no TI e o estimado pela equação gerada no Estudo I, para cada grupo específico, não foram observadas diferenças estatísticas intra-grupos. Portanto, a equação que foi gerada no Estudo I foi considerada válida para estimar o VO2max de indivíduos jovens fisicamente ativos através do teste de corrida em 1600m. Apesar do polimorfismo I/D do gene da ECA poder influenciar os valores de VO2max bem como o desempenho em provas de média distância (1600m), a precisão da equação proposta para predição do VO2max não sofreu interferência do polimorfismo I/D do gene da ECA.
Abstract: Predictive equations have been widely used to determine indirect maximal oxygen uptake (VO2max) as it can evaluate a large number of people with low cost and, in most cases, nearing the specificity of some sports. However, the VO2max can be influenced by various environmental and genetic factors, the validity of these equations on estimating VO2max of young brazilians should be further studied. This investigation includes two studies with young physically active brazilians. The first one evaluated the validity of a predictive equation proposed by Cureton et al., (1995) in estimating VO2max from the 1600m running performance, and also to suggest a new and specific predictive equation for physically active brazilians. . The second study examined the possible influence of I/D polymorphism of ACE genotype on determining the real and predicted VO2max in these participants. For the study I thirty young and physically active underwent both to a 1600m running test and an incremental cardiopulmonary exercise test (IT) on a treadmill with analysis of expired gases. The participants were divided into two groups (G1 and G2) being that in G1 the new equation was generated (Simples linear regretion between mean velocity at 1600m and VO2max) while its validity was examined in G2. When applied on the results of G2, a One Way ANOVA showed no statistical difference and a high correlation between VO2max obtained by the predictive equation generated in G1 [VO2max = (0.177 * 1600Vm) + 8.101] with the values of IT (50.1 ±7.2 mL.kg-1.min-1 vs 50.1 ±7.1 mL.kg-1.min-1) (P>0.05) (R = 0.81). However the VO2max results determined from equation of Cureton et al., (1995) [VO2peak = -8.41 (MRW) +0.34 (MRW) 2 + 0.21 (Age x Gender) – 0.84 (BMI) + 108.94] (44.2± 6.5mL.kg-1.min-1) differed from both IT and the values obtained from the new proposed equation (P<0.05). The concordance between methods was confirmed by Bland and Altman technique. For the study 2, 57 participants underwent the same procedures as study 1, but had their DNA extracted and were genotyped for the insertion/deletion (I/D) polymorphism of the ACE gene. The participants were separated into three groups accordingly to the I/D polymorphism of ACE gene (being allocated either in DD, ID, or II group). The results revealed significantly lower 1600m velocity as well as VO2max for DD carriers compared to II and ID individuals (45.6 ±1.81 mL.kg-1.min-1 vs 51.9 ± 0.79 mL.kg-1.min-1 vs 54.4 ± 0.96 mL.kg-1.min-1) (P <0.01). On the other hand, a within-group analysis revealed that VO2max obtained in IT did not differ from that calculated by the equation generated in Study I. Moreover, the equation generated in Study I was considered valid for estimating the VO2max in physically active young adults through a 1600m running test despite of being II, ID or DD carrier. Although the influence of I/D polymorphism of ACE gene on VO2max and middle distance performance , the accuracy of the proposed equation on predicting VO2max did not suffer interference from the I/D polymorphism of the ACE gene.
Keywords: Desempenho
Gene da ECA
Equações de predição
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Language: por
Parents: Brasil
Publisher: Universidade Católica de Brasília
Institution Abbreviation: UCB
Department: Escola de Educação, Tecnologia e Comunicação
Program: Programa Strictu Sensu em Educação Física
Citation: ALMEIDA, Jeeser Alves de. Consumo máximo de oxigênio, validade de equações de predição e possível influência do polimorfismo I/D do gene da ECA sobre sua determinação. 2011. 44 f. Dissertação (Programa Stricto Sensu em Educação Física) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2011.
Access Type: Acesso Aberto
URI: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/2194
Document date: 1-Mar-2011
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JeeserAlvesdeAlmeidaDissertacao2011.pdfDissertação1.13 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.