???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/123456789/775
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Violência na escola e sofrimento psíquico de professores : uma análise das práticas profissionais, de orientação psicanalítica
???metadata.dc.creator???: Aguiar, Rosana Márcia Rolando 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Almeida, Sandra Francesca Conte de
???metadata.dc.description.resumo???: Os fundamentos desta pesquisa se assentam em pressupostos teóricos e dados empíricos, problematizados à luz da Psicanálise, que tentam elucidar o fenômeno da violência na escola e seus efeitos na saúde mental e física do professor. A compreensão do conceito de violência neste trabalho se sustenta na base teórica e epistemológica da Psicanálise freudo-lacaniana. A violência na escola é apresentada como uma possibilidade sempre presente no ser humano e pode ser pensada como a expressão subjetiva de um intenso mal-estar interior, com a exteriorização de pulsões que comparecem de modo violento e que o sujeito não consegue simbolizar. Dessa forma, a palavra pode ser substituída pela passagem a atos violentos. A violência, o mal-estar e o sofrimento permeiam o ambiente escolar nos dias de hoje, afastando cada vez mais o prazer que pode acontecer no ato de ensinar e de aprender. A pesquisadora escutou ao longo de aproximadamente 3 meses, um grupo de professores por meio do dispositivo da escuta clínica e da análise das práticas profissionais de orientação psicanalítica, no intuito de avaliar o alcance do dispositivo e compreender melhor a violência no ambiente escolar. Pela escuta dos professores, foi possível apreender como o mal-estar suscitado pelo problema da violência na escola mobiliza os docentes subjetivamente e os obriga a lidar com conteúdos da ordem do recalcado, de representações inconscientes, como as da pulsão de agressividade e do desamparo, que atravessam os laços com os alunos. Os professores relataram experiências difíceis de manejar, como a violência simbólica na relação com os estudantes adolescentes, os impasses do ato educativo, a desqualificação da ação docente e a perda da autoridade, a entrada da marginalidade na escola, a indisciplina dos alunos e outras vivências de natureza conflitiva que levaram os professores a desenvolver sintomas e estratégias de defesa face à angústia provocada pelo quase esvaziamento do desejo de educar. Foram apresentadas as quatro modalidades discursivas propostas por Lacan, com destaque aos discursos do Mestre e da Histérica, que indicavam as diferentes posições subjetivas que marcavam as modalidades discursivas dos professores relativas ao gozo, à relação com o Outro e com os outros, colegas, estudantes, gestores, no estabelecimento dos laços sociais, na escola. Os resultados apontam, ainda, para a eficácia da utilização do dispositivo de análise clínica das práticas profissionais, pois o trabalho com a palavra proporcionou o efeito de perlaboração, pela fala e escuta dos professores no grupo, mediante a transferência. Por fim, constatou-se que a escola é produtora dos próprios mal-entendidos, mas que existe a possibilidade de circular, na escola, uma modalidade discursiva que faz apelo ao saber não-todo, ao Mestre inacabado, castrado, cujo discurso é capaz de sustentar práticas que não visem à sutura do real, mas ao contrário, ao reconhecimento do (im)possível da educação e do estudante como sujeito de desejo.
Abstract: The foundations of this research are based on theoretical assumptions and empirical data, problematized from the perspective of psychoanalysis, which attempt to elucidate the phenomenon of violence in school and its effects on teachers mental and physical health. The meaning of the concept violence in this work is grounded on the theoretical and epistemological basis of Freudian-Lacanian Psychoanalysis. Violence in school is presented as a possibility that is always present in human beings and it can be thought of as the subjective expression of an intense internal malaise, externalized by violent drives that the individual cannot symbolize. Thus, the word may be substituted by the transition to violent acts. Violence, discomfort and suffering permeate the school environment these days, continually driving away the pleasure that might arise from the act of teaching and learning. In this study, a group of teachers was heard by means of the clinical listening apparatus as well as the psychoanalytic-oriented analysis of professional practice aiming to assess the reach of the apparatus and to better understand violence in the school environment. By listening to the teachers, it was possible to understand how the discomfort ignited by the problem of school violence subjectively mobilizes teachers and forces them to deal with issues such as those of the repressed, of unconscious motions, such as aggression and helplessness, in their bonds with students. Teachers reported experiences that are difficult to manage, such as the symbolic violence in their relations with teenaged students, impasses of the educating act, the disqualification of teacher actions and the loss of authority, the infiltration of criminality in schools, student misbehavior and other conflicting experiences that have led teachers to develop defense symptoms and strategies due to the anguish caused by the almost complete drainage of the desire to teach. The four discourse modalities proposed by Lacan have been presented, with a focus on the discourse of the Master and of the Hysteric, which showed the different subjective positions that marked the discourse modalities of teachers related to enjoyment, to the relation with the Other and other people, colleagues, students, managers, in the establishment of social bonds, at school. The results indicate the efficiency of the apparatus for clinical analysis of professional practice, for the work with the word led to working-through effects by means of the speaking and listening of teachers in the group, by transference. Lastly, it was found that the school is the generator of its own misunderstandings, but that there is the possibility to circulate, within the school, a discourse modality that calls on the unwhole knowledge, the unfinished, castrated master, whose discourse is able to sustain practices which do not aim at the suture of the real, but, on the contrary, at the recognition of the (im)possible of education and of students as subjects of desire.
Keywords: educação
professores
sofrimento
violência na escola
prática de ensino
psicanálise e educação
teacher
psychic suffering
school violence
clinical analysis of professional practice
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: BR
Publisher: Universidade Católica de Brasília
???metadata.dc.publisher.initials???: UCB
???metadata.dc.publisher.department???: Educação
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Educação
Citation: AGUIAR, Rosana Márcia Rolando. Violência na escola e sofrimento psíquico de professores : uma análise das práticas profissionais, de orientação psicanalítica. 2014. 185 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2014.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI:  https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/123456789/775
Issue Date: 28-Apr-2014
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rosana Marcia Rolando Aguiar.pdf1.24 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.