Export ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/123456789/1895
Type: Dissertação
Title: Autismo e família : estudo dos aspectos familiares e sociais
Author(s): Zaranza, Natália Inês de Carvalho
First Advisor: Ribeiro, Maria Alexina
???metadata.dc.contributor.referee1???: Rossi, Tânia Maria de Freitas
???metadata.dc.contributor.referee2???: Carvalho, Erenice Natália Soares
???metadata.dc.contributor.referee3???: Costa, Liana Fortunato
Summary: O autismo caracteriza-se pelo prejuízo em diversas áreas do desenvolvimento, como habilidades de interação social recíproca e de comunicação, e presença de comportamentos, interesses e atividades estereotipadas. A maioria dos estudos nessa área são voltados para o indivíduo autista, não levando em conta as necessidades específicas de suas famílias.A revisão da literatura mostrou que o tema autismo e família tem sido pouco estudado e apenas abordado nos aspectos relacionados ao estresse vivenciado pelas genitoras e irmãos de crianças autistas. Este estudo teve como objetivo conhecer a dinâmica de famílias que possuem um membro autista, identificando os padrões de relacionamento intrafamiliar e social. Privilegiou-se o referencial da pesquisa qualitativa, utilizando a metodologia do Grupo Multifamiliar. Participaram da pesquisa três famílias com filhos diagnosticados com autismo clássico, com idades de 04, 05 e 31 anos, residentes no Distrito Federal. Inicialmente foi realizada um entrevista com cada família com objetivo de conhecer a história familiar e elaborar o genograma e o ecomapa, com base em roteiro. Em seguida, as famílias participaram de quatro encontros de Grupo Multifamiliar com os seguintes temas: 1º encontro: Momento do diagnóstico e reestruturação familiar , 2º encontro: Tratamento e acompanhamento profissional , 3º encontro: Estresse familiar; 4º encontro: Encerramento . Os dados foram submetidos à análise de conteúdos e discutidos com base no referencial teórico e revisão da literatura sobre o tema. Os dados mostraram que: os pais são as pessoas que convivem e cuidam do membro autista; o acesso das famílias à rede de apoio é dificultado, evidenciando pouca permeabilidade das fronteiras familiares para relacionamentos com outros sistemas sociais; presença de sentimentos negativos no momento do diagnóstico do filho; falta de preparo dos profissionais em diagnosticar e tratar o autista e orientar as famílias; falta de apoio das famílias de origem antes a após o diagnóstico; reestruturação familiar durante as diversas etapas do ciclo de vida; papéis familiares definidos, com possibilidade dos membros assumirem diferentes funções; relacionamento entre os irmãos permeado de cooperação e aceitação do membro autista. Os genitores identificaram estresse familiar relacionado a: sintomatologia do autista, discriminação da sociedade, falta de tempo para si e para se dedicar aos demais membros da família, ausência de lazer. Os recursos que as famílias encontraram para superar o estresse familiar foram: Deus, união, o companheirismo do filho e aquisição de conhecimento sobre o autismo. As dificuldades relacionadas ao tratamento mencionadas pelas famílias foram: locomoção, custos, e opiniões divergentes entre profissionais. Os pontos positivos do tratamento estão associados à mudança e controle do comportamento e às atividades da vida diária do autista. A utilização do grupo multifamiliar promoveu, além da coleta de dados, um espaço para as famílias expressarem seus sentimentos e, sobretudo, as trocas entre os familiares favoreceram a integração e ampliação da rede de apoio das famílias. O método utilizado mostrou-se adequado para se atingir os objetivos propostos e a abordagem sistêmica proporcionou um melhor entendimento sobre a dinâmica das famílias participantes do estudo.
Abstract: Autism is characterized by damage in several areas of development, like reciprocal social interaction and communication skills, and presence of stereotyped behavior, interests and activities. Most studies in this area face the autistic as individual, not taking into account the specific needs of your families. The literature review showed that the issue autism and the family has been poorly studied and discussed, except in aspects related to the stress experienced by parents and siblings of autistic children. This study aimed the dynamics of families who have an autistic member, identifying the patterns of intrafamily and social relationships. It emphasizes the benchmark of qualitative research, using the methodology of multfamiliar group. Three families with children diagnosed with classic autism, aged 04, 05 and 31 years, residing in the Federal District, participated in the survey. Initially, it was an interview conducted with each family in order to know the family history and to prepare the genogram and ecomap, based in a script. Then the families participated in four meetings of multifamiliar group with the following themes: 1st meeting: "Moment of diagnosis and restructuring family", 2nd meeting: "Treatment and monitoring work"; 3rd meeting: "Stress experience family; 4th meeting: "Closure". The data were subjected to content analysis and were discussed based on the theoretical framework and review of literature on the subject. The data showed that parents are the people who live and take care of autistic member; the access by the family to support network is difficult, showing little permeability of borders to family relationships with other social systems; presence of negative feelings at the time of diagnosis of the child; lack of preparation from professionals to diagnose and treat autism and guide the families, lack of support from relatives before and after the diagnosis; familiar restructure during the different stages of the life cycle; family roles defined, with the possibility of members assume different roles; relationships between siblings permeated of cooperation and acceptance of autistic member. The parents identified family-related stress: the autistic symptoms, discrimination in society, lack of time to themselves and to devote to other family members, lack of leisure. The resources families have found to overcome the family-related stress were: God, union, autistic child companionship and acquisition of knowledge about autism. The difficulties related to the treatment mentioned by the family were: locomotion, costs, and differing opinions among professionals. The positive points of treatment are associated with the change and control of the behavior and activities of daily living from autistic. The use of the multifamiliar group promoted, in addition to data collection, a space for the families express their feelings; especially, the exchanges between family members had favored the expansion of network integration and support of families. The method proved to be adequate to achieve the proposed goals and systemic approach provided a better understanding of the dynamics of families participating in the study.
Keywords: autismo
família
ciclo de vida familiar
grupo multifamiliar
autism, family
familiar life cycle
multifamiliar group
autismo - aspectos sociais
autismo - relações com a família
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Language: por
Parents: BR
Publisher: Universidade Católica de Brasília
Institution Abbreviation: UCB
Department: Psicologia
Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citation: ZARANZA, Natália Inês de Carvalho. Autismo e família : estudo dos aspectos familiares e sociais. 2008. 11 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2008.
Access Type: Acesso Aberto
URI:  https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/123456789/1895
Document date: 8-Dec-2008
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Texto Parcial Natalia Ines - 2008.pdf65.98 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.